Pages

Subscribe:

Seguidores

segunda-feira, 13 de março de 2017

Jinetes Fantasma Em Joinville.



Psycobilly Argentino.






Artistas de quem também gostamos
Nekromantix, Sick Sick Sinners, Mad Sin, Tiger Army, Phantom Rockers, Demente Are Go, Sir Psycho, WorkingHorse Irons, etc...
INFORMAÇÕES DE CONTATO

Jinetes Fantasmas
MAIS INFORMAÇÕES

Gênero
Psychobilly

Membros da banda
Vena (Voz y Guitarra); Gabba (Guitarra y Coros); Dr. Satonico (Contrabajo y Coros); Bronca (Bateria y Coros).

Cidade natal
Mar del Plata

Gravadora
ATMC Records

Sobre
Jinetes Fantasmas primer banda Psychobilly en Mar del Plata (Bs.As.Argentina) expandimos nuestra musica donde se encuentre algun amante del Psychobilly.

Biografia
Jinetes Fantasmas es la primer banda Psychobilly en Mar del Plata (Prov. de Buenos Aires, Argentina). Luego de algunos cambios de formación, la banda queda cons... Ver mais

Localização atual
La costa de MdP


sábado, 11 de março de 2017

Márcio Sno" UM FANZINEIRO DO SÉCULO PASSADO".







Há quanto tempo desenha?
Desde moleque eu sempre gostei de desenhar. Não sei te precisar quando exatamente isso aconteceu. Sempre gostei muito de quadrinhos e desenho animado e isso ajudou muito tomar gosto pela coisa.

Lembra do primeiro fanzine que publicou?
Foi o Aaah!!, que lancei em abril de 1993. Nesse zine ajudei a divulgar um monte de artistas independentes, como quadrinistas, ilustradores, poetas e, principalmente, bandas. Esse zine durou 6 edições e o que eu faço hoje em dia é bem diferente daquela época. Também eram outros tempos...

Alguma vez pensou em desistir?
Na verdade, eu dei um tempo no começo dos anos 2000. Nessa época eu já estava casado e com um filho e não tinha mais tempo pra “essas coisas de adolescente” e fui parando meio que naturalmente. Porém, o zines sempre me perseguem. Por mais que eu tentasse fugir dele, sempre ele me puxava de volta. Chegou uma vez que eu parei de resistir e cá estou nessas há 24 anos...

Como é ter vivido essa passagem dos anos 80 e 90 para o século 21?
Ah, vivemos, né? Os anos 90 foram cheios de complexidades, pois no seu meio temos o fenômeno internet que mexeu com a vida de todo mundo. Posso dizer que vivi na última era em que os zines eram feitos totalmente manual e o underground se movimentava de forma analógica. Doido pensar isso hoje em dia.
O século 21 taí: cheio de coisas boas e muitas ruins. É tempo de refletir sobre o que realmente é necessário em nossas vidas: o que consumir, a forma que vivemos, nossos objetivos, nossos valores. Infelizmente o que resume os dias atuais, foi dito por Odair José recentemente: “é o presente trazendo o futuro de volta ao passado”.

Fale um pouco de ter conhecido Odair José e ter criado o Odair Jozine.
Sou fã do cara há muitos anos. O meu compadre Jean Marim (Sonidos, Ruídos y Ideas) ajudou a escutá-lo com um outro ouvido. Tenho um respeito absurdo por esse cara, por tudo que fez, a sua audácia, estar à frente de seu tempo... Enfim.
Antes de pensar num fanzine sobre ele, fiz o ZineVon com o Renato Donisete (Aviso Final). Com o bom retorno, o primeiro artista que pensamos foi no Odair. Queríamos mostrar “o Odair que poucos conhecem” para ajudar a tirar esses rótulos perjorativos que acompanham sua carreira desde sempre. Então, naturalmente, chamei o Jean pra escrever e, por acaso, apareceu o Renato Lauris Jr (Sobre Vidas) que se convidou e foi aceito imediatamente. Depois veio a ideia de chamar minha sobrinha Nayara Konno pra fazer umas versões de canções dele e ela, por sua vez, convidou Hegberto Emiliano para ajudar nos arranjos e, assim nasceu o Duo Demodê, que participou no lançamento do fanzine.
A ideia do fanzine era fazer um entrevistão com o Odair (tínhamos muitas perguntas elaboradas, muitas!), mas acabou não rolando por causa das agendas que não batiam – coincidiu com lançamento do último disco Gatos e Ratos. Como estávamos adiando muito por causa da entrevista, optei em abortar a missão e cada um seguiu com uma pauta pra resolver.
O resultado foi esse fanzines-documento que é considerado pelo próprio Odair como o mais completo release sobre a sua pessoa e trabalho. Como se não bastasse, fui convidado a comercializar o zine no lançamento do disco no Cine Joia, em SP. Na mesma semana, ouvindo o disco Assim Sou Eu..., prestei um pouco mais de atenção na música “Eu queria ser John Lennon” e vi que dava pra fazer uma historinha e lancei em um microzine que é já um sucesso!
O Odair, sua família e banda me amam! É uma grande honra tudo isso! E hoje mesmo recebi um convite dele para um outro projeto. Aguardem e confiem!

Casado? Solteiro? Tem filhos? Algum deles seguiu a arte de desenhar ou criar fanzines?
Ainda sou casado e tenho um filho de 19 anos, o Calvin. Eles sempre me apoiaram em tudo que eu fiz e faço em relação aos zines. Sabem o porquê estou nessa.
A Joelma chegou a produzir um zine comigo lá nos anos 90, o Don’t Worry!!, que durou duas edições. O Calvin me ajudou muito na gravação do documentário Fanzineiros do Século Passado e na realização de algumas oficinas de zines, porém, não chegou a “seguir carreira” na parada. Talvez façamos algo juntos futuramente, uma vez que está cursando Design Gráfico agora. Vejamos.

Lembra para quais bandas fez algum tipo de arte camisas ou capas de demo-tapes?
Nossa... Desenhei pra muita gente! Muita! Foram camisetas, flyers, capa de demo-tapes, CDs, zines, adesivos, logotipos... Não tenho ideia de quantos eu produzi. Bandas, vou citar algumas: Mukeka di Rato, The Power of the Bira, Cash for Chaos, Protestantes HC, Homem Lixo, Gulliver, TSI, Jukes, Decibéis D’biloid’s, Tormento dos Vizinhos, Komadreja...

Qual a última banda que ouviu?
Eu sempre estou ouvindo muita coisa. De vários estilos, lugares... Meu gosto é bem eclético, no sentido literal da palavra. Das últimas coisas que tenho ouvido, recomendo: o último disco do Sabotage, Bnegão e os Seletores de Frequência, o último disco/livro do Leonardo Panço, Superfícies, sempre boto pra rolar... Die Antwoord, Cavalera Conspiracy, Criolo, Buraka Som Sistema, Black Alien, Chico Trujillo, constantemente aparecem no meu setlist.

Algum artista te influenciou?
Ah, vários... em diversas linhagens artísticas. No desenho, sem dúvidas, Marcatti e Angeli foram os principais. Também bebi muito na fonte de Lourenço Mutarelli, Fernando Gonsales, Laerte, Crumb, MZK... Mais atualmente piro no trabalho de Laudo Ferreira Jr, Adão Iturrusgarai, Allan Sieber, Joe Sacco, Luiz Berger, Ben Snakepit, entre muitos outros.

Fala uma merda aí?
Meu... Uma merda? Não sei se é merda, mas vamos lá: “o diabo não é tudo isso que pintam”.

E a última: uma banda e uma música?
Nossa… Difícil pra caraio… Tem uma música que é um divisor de águas na minha vida mais recente, que é “O melhor exemplo do que não seguir” do Dead Fish que me ajudou a ganhar forças pra dar uma virada na minha vida.

Banda? Vou na mais óbvia: Ramones.








O Oficineiro Márcio Sno



Nascido Márcio Mitio Konno, Sno é paulista, zineiro, jornalista, ilustrador, pesquisador, oficineiro e educador. Nos anos 1990 editou diversos zines e colaborou para muitos outros no Brasil e exterior. No mesmo período fez ilustrações para bandas e zines. A partir de 2005 passou a coordenar diversas oficinas de Zines, Brinquedos de Papel, Tiras de HQ e Livros Artesanais para crianças, adolescentes, jovens, educadores e público em geral, em escolas, universidades, bibliotecas, ONGs, centros culturais e unidades do SESC. Entre 2011 e 2013 lançou três capítulos da série de documentários Fanzineiros do Século Passado, que já foi exibido em todo o Brasil e países como Canadá, Inglaterra, Turquia, Argentina e Bielorrússia. Em 2015 lançou seu primeiro livro O Universo Paralelo dos Zines de forma independente pela Editora Timo. Essa publicação é o resultado de oito anos de pesquisa autônoma na qual apresenta a história dos zines, seu uso em propostas pedagógicas, o perfil dos editores e o meio onde está inserido, entre outras abordagens. 

Constantemente lança zines com temáticas, formatos e tamanhos diferenciados, que vende nas diversas feiras de publicações independentes que participa. Já perdeu as contas de quantos zines lançou.



UM FANZINE DO SÉCULO PASSADO

Um Guerreiro Dos Fanzines.
OFICINAS COORDENADAS POR Márcio Sno

CRIANÇAS E ADOLESCENTES 2013: CCA AMAI 2  Ass. Cidadania Ativa do Macedônia – ACAM  2014: Instituto Inforedes - Jardim Boa Sorte  Grupo Unido pela Reintegração Infantil (2014)  CCA Cidade Júlia (2014)  CCA Santa Amélia  MOCAPH Santa Terezinha  CCA Joca (2014)  Comunidade Meu Abacateiro  Centro de Formação Irmã Rita Cavenaghi  Escola Pinheiro  CCA Villa  SESC Santo Amaro - Programa Juventudes – 4 oficinas  2015: CCA Dom José  CCA Parque Rondon  CCA Barro Branco  EMEF Profa. Isabel Vieira Ferreira – 2 oficinas  CEU Alvarenga  CEU Caminho do Mar  CCA Valo Velho – 17 oficinas  2016: Centro Social São José – 4 oficinas • Movimento Renovador Paulo VI  SESC Santo Amaro – 5 oficinas • E. M. Abrão Adolpho Engel (escola rural em Alfenas/ MG) • Fábricas de Cultura Jardim São Luís • Fábricas de EDUCADORES 2009: Ação Comunitária  2012: Faculdade Sequencial  2014: Comunidade Missionária de Villaregia  Associação Auriverde  CRAS Cidade Ademar  Faculdade Sequencial  2015: Escola João Paulo II - 2 oficinas PÚBLICO MISTO 2005: SESC Barra Mansa/RJ  2013: SESC Belenzinho  2014: Unifal - Alfenas/MG - I Faísca  I FELIPE – Petrópolis/RJ  2015: SESC Bom Retiro  Casa das Rosas  SESC Osasco – 4 oficinas  SESC Teresópolis – 6 oficinas  Projeto Rock Ex Machina – 4 oficinas  Unifal – Alfenas/MG – II Faísca  SESC Santo Amaro – 4 oficinas  Casa de Cultura Raul Seixas  2016: SESC Pompeia – 4 oficinas • SESC Santo Amaro – 3 oficinas • Gibiteca de Santos • SESC Osasco  2017: SESC Osasco – 4 oficinas OFICINAS COORDENADAS POR MARCIO SNO ` Cultura Capão Redondo • Fábricas de Cultura Brasilândia • Fábricas de Cultura Cachoeirinha • Fábricas de Cultura Jaçanã • CIEJA Campo Limpo • EMEF Marina Melander Coutinho – 4 oficinas • Sociedade Benfeitora Jaguaré – 2 oficinas (via The Walt Disney Co Brasil) • CCA Auri Verde 















quarta-feira, 8 de março de 2017

Moonshine Wagon No Deliquent's Bar V8

Moonshine Wagon é uma banda que mistura bluegrass / folk / punk acústico formada em Vitória no outono de 2013 .




MAIS INFORMAÇÕES
Gênero
Hellgrass
Membros da banda
Goiatz Dutto (fiddle, percussion, vocals), Joel Bruña (guitar, banjo, mandolin, vocals) & Bufunfa Nikolaiko (double bass, vocals).

Contact us:
moonshinewagon@hotmail.com /
+34680386697
Sobre
Members: Goiatz Dutto, Joel Bruña & Bufunfa Nikolaiko.

Contact us:
moonshinewagon@hotmail.com
+34 680 38 66 97
Biografia
Grupo de HellGrass de Vitoria-Gasteiz formado por Goiatz Dutto, Joel Bruña y Bufunfa Nikolaiko.
Telef. contacto: 680386697


domingo, 19 de fevereiro de 2017

Light Strucks On Tour Joinville 16/02/2017 Delinquent's Bar V8.









Conheci Chelo Lion em 2013 , quando passei por Uberlandia, através de um amigo em comum ,marcamos uma entrevista com ele e Ricardinho Ramos (aliás, uma entrevista que nunca publiquei....), lembro que bebemos bastante e conversamos sobre bandas e sons, o tempo passou e surgiu a Light Strucks, e conseguimos que eles aportassem por aqui Light Strucks é: Flávio Jordok guitarra , Gordon Rise baixo e Chelo Lion bateria... seguem as imagens:
SURF MUSIC na cidade da chuva.
Guitarra V8.
Flávio Jordok .
INFORMAÇÕES DE CONTATO
@Lightstrucks
MAIS INFORMAÇÕES
Gênero
SURF PUNK
Cidade natal
Uberlândia
Gravadora
Reverb Brasil / Esta Noite Encarnarei no Teu Compacto
Sobre
Surf punk instrumental formado no ano de 2015, em Uberlândia - MG, com influências de Surf Music, Punk Rock, Sertanejo Raiz, entre outros.

sábado, 18 de fevereiro de 2017

The Shit No Delinquent's Bar V8.

Essa molecada vem de Jaraguá do Sul (Norte de S.C) e na raça e vontade é o novo som feito em Jaraguá!

INFORMAÇÕES DE CONTATO
Ligar (47) 9970-0095
Primeiro cd da banda.
@theshitband
MAIS INFORMAÇÕES
Gênero
Noise Punk.
Membros da banda
Brendan Bazzi; bateria/vocal
Igor Heidemann; baixo
Lenon Barboza; guitarra/vocal
Sobre
The Shit nada mais é do que 3 caras sem talento musical tocando Punk com influências em Amado Batista.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Banda Frade Negro.


Fundação em 2004
INFORMAÇÕES DE CONTATO
@fradenegro
MAIS INFORMAÇÕES
Gênero
Heavy Metal
Membros da banda
Rodrigo Santos - Vocal /
Murilo Soares - Guitarra /
Marcos Strelow - Baixo /
João Ortiz - Bateria
Cidade natal
Jaraguá do Sul - Santa Catarina
Sobre
Heavy Metal - Santa Catarina - Brazil
www.fradenegro.com
You Gonna Die!
Biography
Winter 2004 Jaragua do Sul, SC. The explosion of a secret weapon caused the reanimation of the dead via a sound inaudible to the rest of the population, making four undead begin to wage a brutal attack on the inhabitants of the bucolic town, the group consists of suburban men who had the lives entrusted to a single cause. After brutally explode the brains of those they encountered along the way and resist the attack sites, the band decided to continue with their fury through the nearby towns until they reach the first large urban centers, causing hundreds of new undead to follow him in this crusade harmful against the people trapped in their homes. Then decide to take revenge and destruction to the ears of those previously considered saved, and despite the low primerias, launch the EP entitled THE BELLS OF CHAOS. The living dead, being in a state of ecstasy to exact revenge destroying the eardrums of those who try to cross their paths in life known as Rodrigo Santos, ME Strelow, João Ortiz and Murilo Soares is now known as Frade Negro.
Localização atual
Jaraguá do Sul
Influências
Accept, Dio, Running Wild, W.A.S.P, Metal Church, Saxon, Overkill, Motorhead...
fradenegro@fradenegro.com
categories

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Terceira Coletânea O Limbo .Feira de Vinil.

Escambo, compra e venda!

Six Six Six Terror.


Toda a ousadia de um garoto de vinte anos.

Frade Negro.

Muito legal poder acompanhar o surgimento de novas bandas.